Jornal o Evangelho - O cristão bem informado!

Notícias/Polícia

Detentos causam incêndio no Ceresp de Betim

Policiais Penais controlaram o fogo ateado em pedaços de espuma dos colchões.

Detentos causam incêndio no Ceresp de Betim
Reprodução Google Street View
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Na tarde desta terça-feira, detentos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) em Betim atearam fogo em pedaços de colchões, gerando uma rápida resposta das autoridades penitenciárias. A ocorrência, que começou por volta das 16h30, foi controlada sem deixar feridos.

Segundo informações da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), as espumas em chamas foram lançadas no corredor de uma das alas da unidade prisional. Policiais penais foram prontamente acionados e conseguiram controlar a situação de maneira eficiente.

A direção do Ceresp Betim já instaurou um procedimento interno para investigar as responsabilidades, motivações e possíveis danos ao patrimônio causados pelo incidente. A Sejusp informou que os detentos envolvidos poderão enfrentar sanções administrativas após a conclusão das investigações.

Em nota, a Sejusp esclareceu que o incidente não se qualifica como um motim, já que a situação permaneceu sob controle dos policiais penais, com os presos confinados em suas celas e sem tomar o pátio. “O episódio ocorrido foi uma subversão da ordem, ou seja, situação na qual o controle da unidade não é perdido pelos policiais penais e os eventos são controlados de forma rápida”, afirmou a secretaria.

A ação rápida dos policiais penais foi fundamental para evitar que a situação se agravasse, demonstrando a eficácia das medidas de segurança e a prontidão da equipe em lidar com situações de emergência dentro da unidade prisional.

O episódio sublinha a importância de manter protocolos de segurança rigorosos e de promover a rápida atuação em resposta a incidentes dentro das unidades prisionais, garantindo a segurança de todos os envolvidos e a integridade das instalações.

FONTE/CRÉDITOS: Jornal O Evangelho
Comentários:

Veja também